Pequenos diálogos – Parte I

Nem todo diálogo que se desenvolve na loja merece um texto por completo, então resolvi colocar diversas dessas conversas sem pé nem cabeça em uma só publicação, para assim vocês entenderem porque o roteirista do Bob Esponja e da minha vida são a mesma pessoa.

 

Cliente: Eu quero uma mola

Balconista: Que mola?

C: A mola!

B: Ok, mas qual mola? De que máquina?

C: A mola! (gritando) Eu quero a mola! Vá a merda então! (Sai da loja)

Cliente: Eu quero controle remoto de televisão.

Balconista: Aqui é refrigeração, controle de TV é do outro lado da rua, ali no toldo azul.

C: (Olha para onde apontei) Será que lá tem o meu?

B: Isso eu não sei, tem que perguntar lá.

C: Sem certeza fica difícil… Volto amanhã.

Cliente: Opa, onde tem uma casa de diversão por aqui?

Balconista: Uma casa de diversão?

C: É, você sabe. Um lugar para se divertir.

B. Ah… Você está falando de zona, tem uma na rua de trás.

Cliente: Será que vocês têm o que eu quero?

Balconista: O que você quer?

C: Tem ou não?

B: …

C: Tem ou não?

B: O que você quer?

C: Mas você sabe onde tem?

B: O QUE SENHOR?!

C: (Procura nos bolsos) Ih… Esqueci em casa.

Cliente: (Sem nada nas mãos) Tem?

Balconista: (Entrando na brincadeira) Tenho!

C: Vê dois então!

Cliente: Estou procurando um botão da minha máquina.

Balconista: Qual a marca e modelo.

Cliente: Não lembro.

B: Aí fica difícil. Trouxe o botão?

C: Não… Vai falando as marcas.

B: Tem Eletrolux.

C: Isso! Luxo!

B: Tem Brastemp.

C: Isso! Temp!

B:Tem Enxuta.

C: Isso! Chuta!

B: Seria bom trazer a marca para levar o certo.

C: Vê desse aí.

B: Qual?

C: Desse aí que você falou.

B: Senhor. Traz a marca pra mim, por favor.

Cliente: Eu quero aquela peça que vem aqui (começa a gesticular) passa assim, faz assim e vira desse jeito, da minha máquina.

Balconista: Onde vai essa peça?

C: Não sei, foi o mecânico que tirou.

B: Com essa descrição fica difícil saber o que é.

C: Mas ela vai assim (volta gesticular) aí tem uma curva assim, vira e faz uma volta! Só tem ela assim!

B: Desenha pra mim (entrega papel e lápis).

C: Não sei desenhar.

B: Então, vou precisar da peça mesmo.

C: Não, não precisa! A peça é assim, vira assim…

B: Cara, fica muito difícil desse jeito, são muitas máquinas de lavar.

C: Mas a minha é uma máquina de costura.

B: …. Eu não trabalho com máquina de costura.

C: Mas você não tem a peça.

B: … Não…

Cliente: Vou querer algumas coisas (dá a lista)

Balconista (Separa todos os itens, são mais de trinta) Só ficou faltando esse aqui.
Cliente: Caramba, você não tem nada aqui!

Balconista: (No banco, será atendido em seguida, na sua frente uma senhora)

Senhora: Eu queria fazer um depósito para esta conta aqui (entrega um papel)

Caixa: É conta-corrente?

Senhora: Se eu estou contente?!

Balconista: (Desata a rir sem controle)

Cliente: Tem botão para máquina de lavar?

Balconista: Qual a marca e modelo?

C: Tem que saber isso?

Cliente: Tem essa peça? (mostra a peça)

Balconista: Tenho sim, está R$ 25,00.

C: Pago R$ 15,00

B: É R$ 25,00, senhor.

C: Eita cara ruim de negócio… (Vai embora)